Série Antonio Parreiras, capítulo 1

Mesmo antes de sua primeira grande mostra artística, em 27 de maio de 1886, no ateliê fotográfico de Joaquim Insley Pacheco, fotógrafo da Casa Imperial, o pintor niteroiense Antônio Parreiras, nascido em 1860, chamou a atenção de sua cidade natal quando em 1883, portanto aos 23 anos, recebeu do então administrador do Theatro Santa Thereza, hoje Municipal João Caetano, o maestro italiano Felice Fortunatti Tati, a tarefa de pintar o pano de boca do teatro. O artista propôs como tema a Praia de Icaraí.

No último mês daquele ano, autoridades e representantes da imprensa foram examinar o frontispício do palco e o pano de boca do teatro que estava com suas obras de reforma praticamente terminadas. O jornal O Fluminense chegou a fazer uma descrição do cenário e encerrou sua análise declarando (grafia original):

    "O plano de fundo é formado por um lindo ponto de vista da praia de Icarahy. Cercam o panno bambolinas e ornatos. Este trabalho foi feito pelo Sr. Antonio Parreiras, filhos d'esta cidade e distinto alumno da Academia das Bellas-Artes , que n'elle revelou em geral bastante talento, gosto e estudo. A vista da praia de Icarahy está magnifica". (O Fluminense, 12 de dezembro de 1883).

Mas por conta de um certo preconceito que reinava na época pelo paisagismo, o trabalho do artista acabou sendo recusado. Membros da Companhia Theatro Santa Thereza desejavam algo mais "dramático" e condizente com um teatro. O ainda jovem pintor, no entanto, acabou aceitando a tarefa de refazê-lo em outros termos.

Seis meses depois, o mesmo jornal voltou ao tema:

    "Vimos hontem o novo panno de bocca de scena, no theatro Santa Thereza, pintado pelo jovem e talentoso Sr. Antonio Parreiras. Este moço, que tem ultimamente dedicado aos trabalhos de scenographia, apresenta grande vocação para elles e o primeiro panno que pintou para esse theatro, bem como o que acaba de promptificar, ambos provam nossa asserção. O desenho deste ultimo, que é destinado a servir no theatro, representa as colinas do Collisêo. Está bem acabado e, não obstante serem ruinas, deixam uma boa impressão em quem as vê, e despertam idéias historicas, assás agradaveis. Comprimentamos o nosso conterraneo pela sua obra. Os preparos geraes do theatro estão muito adiantados." (O Fluminense, 25 de junho de 1884).

A casa foi reinaugurada dois meses depois, em 8 de agosto, com a o espetáculo El Gran Galeoto, do dramaturgo espanhol José Echegaray, contando com a presença do imperador D. Pedro II.

Infelizmente não há imagens conhecidas de nenhum dos dois trabalhos.


Série Histórica Antonio Parreiras

Capítulo 1 - O Panno de Bocca do Santa Thereza
Capítulo 2 - A Foz do Rio Icarahy
Capítulo 3 - O Barrista
Capítulo 4 - Os preparativos para a imersão na Europa




Publicado em 13/03/2021
Museu Antônio Parreiras