"MAC 18 ANOS - CELEBRAÇÕES COM DIVERSAS ATIVIDADES GRATUITAS
 
 
Baixe a agenda do mês

O Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC) completa 18 anos, no próximo dia 2 de setembro. Dando início às comemorações, nos dias 30 e 31 de agosto, das 10h às 17h30, vai acontecer a 4ª edição do projeto "MAC como obra de Arte", com ocupações, performances, projeções de filmes, dança, mostras, lançamentos de publicações, entre outras atividades. As comemorações pelo aniversário do museu continuam durante todo o mês de setembro, com direito a mostra "Lygia Clark: Tudo que é concreto se desmancha no ar", cuja abertura será no dia 6.

No dia 2 de setembro de 1996, surgia, em Niterói, um espaço que passaria a ser símbolo e identidade da cidade, conhecido internacionalmente. Um museu, que tem o desenho de uma flor, mas para muitos lembra um disco voador. O Museu de Arte Contemporânea de Niterói completa 18 anos e promove diversas atividades gratuitas. Nos dias 30 e 31 de agosto – sábado, das 10h às 21h; domingo, das 11h às 18h – será realizada a 4a edição do projeto "MAC como Obra de Arte". Em setembro, haverá exposições especiais – reforçando a importância das Coleções João Sattamini / MAC de Niterói, além de apresentar a arquitetura de Oscar Niemeyer como inspiração para criações de artistas nacionais e internacionais.

O MAC como Obra de Arte tem a proposta de transformar o museu em um laboratório de experiências de metáforas da criação artística participativa e aberta. Ao mesmo tempo em que ocupa o intervalo entre exposições temporárias de pinturas ou esculturas, propõe abrir seus espaços para se tornar um campo de vivências compartilhadas de diferentes linguagens artísticas. O objetivo é ocupar os espaços do local, que passam a funcionar como laboratório de práticas artísticas, pedagógicas e sociais. As experiências coletivas – formuladas a partir da confluência entre a beleza da paisagem e as formas espirais do museu – ativam a vida pública do local, com as premissas éticas de interações, sob uma perspectiva radical de educação social.

Fazem parte deste projeto o ‘Programa AtivAções’, do Coletivo Conectores Platônicos, formado pela equipe de artistas e educadores do MAC de Niterói; Lançamento do livro ‘Sudário’, de Carlos Vergara, baseado na exposição de mesmo nome (que ficou em cartaz de dezembro de 2013 a fevereiro deste ano); instalação do ‘Projeto Rede’, do artista João Modé; Oficina ‘Latifúndios de Papel’, com o artista Raimundo Rodriguez; Programa de projeções e intervenções, com Cineclube Cineolho, e com o Coletivo Plus Ultra + Alexandre Gwaz; Intervenções com artistas da exposição ‘Espaços Deslocados – Futuros Suspensos: Repensando Oscar Niemeyer’; e lançamento do folder da exposição ‘Fique à vontade’ (uma mostra colaborativa com a participação de 429 artistas, que ficou em cartaz em junho e julho deste ano), do artista Ricardo Pimenta.

E as comemorações pelo aniversário do museu continuam em setembro. Lygia Clark não poderia ficar de fora. A artista – que foi homenageada nos 10 anos do MAC com a exposição "Abrigo Poético: diálogos com Lygia Clark" – volta agora, com obras na mostra "Lygia Clark: Tudo que é concreto se desmancha no ar – obras da coleção João Sattamini / MAC de Niterói", cuja abertura é no dia 6 de setembro. O visitante vai poder apreciar alguns dos trabalhos desta grande artista, que possui relevância no acervo João Sattamini. A curadoria é de Luiz Guilherme Vergara (também Diretor do MAC de Niterói), Lula Wanderley e Gina Ferreira. Neste mesmo dia, será também aberta a mostra "Espaços Deslocados – Futuros Suspensos: Repensando Oscar Niemeyer", uma colaboração internacional do coletivo Suspended Spaces, com a participação de artistas franceses, libaneses e brasileiros; e no dia 13 de setembro, acontece a inauguração da mostra "Latifúndios", do artista visual Raimundo Rodriguez, também com curadoria de Luiz Guilherme Vergara.


Mais sobre a programação de aniversário do MAC de Niterói: "MAC como Lugar da Dádiva" – 18 anos:

MAC como Obra de Arte – dias 30 de 31 de agosto - sábado, das 10h às 21h; domingo, das 10h às 18h

- Programa AtivAções, com o Coletivo Conectores Platônicos – Dias 30 (10h às 18h) e 31 (11h às 18h) de agosto:
Descrição: formado pela equipe de artistas e educadores do MAC de Niterói. Recomendações para inventores de futuro, as atividades envolvem diversas linguagens artísticas, aplicadas dentro e fora do museu. Performances, dinâmicas de leitura dramatizada, poesia, música, corpo, dança e projeções no teto do salão principal de imagens de pinturas barrocas vão permitir que o público faça uma viagem, por meio de um imaginário, que envolve também a arquitetura e a paisagem.

- Lançamento Livro "Sudário, do artista Carlos Vergara – dia 30 de agosto, às 17h:
Descrição: será oferecido um Chá das Cinco (uma das práticas desenvolvidas em conjunto com o Programa Médico de Família com os moradores do Morro do Palácio) para o lançamento do livro, baseado na exposição "Sudário", do artista Carlos Vergara, que teve a curadoria de Luiz Guilherme Vergara e ficou em cartaz no museu, de dezembro de 2013 a fevereiro de 2014. A mostra apresentava monotipias dos diversos territórios (Índia, Capadócia, Cazaquistão, Londres, Pantanal, São Miguel das Missões e Salvador), além de pinturas, fotografias trabalhadas em 3D real e virtual, vídeos e instalações. A Farmácia Baldia da Boa Viagem também fez parte desta odisséia de utopias ao rés do chão. Em quatro meses de exposição, foi formado um coletivo de botânicos, educadores, artistas, produtores culturais, médicos, farmacologistas, administradores e agentes comunitários. No processo, redes vitais foram revigoradas, principalmente entre o MAC, o Programa Médico de Família e o Maquinho, no Morro do Palácio. Presença do artista e dos autores dos textos: Jéssica Gogan e Luiz Guilheme Vergara.

- Projeto Rede, do artista João Modé – dias 30 e 31 de agosto, o dia inteiro:
Descrição: Composta de linhas de diferentes materiais, esta escultura orgânica e participativa cresce para todas as direções como uma planta trepadeira que acolhe a contribuição espontânea de cada visitante. O diálogo entre as curvas da rampa e arquitetura do MAC marca a força poética da proposta colaborativa do artista.

- Oficina Latifúndios de Papel, como artista Raimundo Rodriguez – dia 30 de agosto, das 10h às 12h:
Descrição: tem como objetivo criar uma obra colaborativa a partir do manuseio de papel, para a exposição Latifúndios, que ficará em cartaz, no Mac, do dia 13/09 a 5/10. Classificação: a partir de 14 anos.

- Programa de projeções e intervenções, com o Cineclube Cineolho e com o Coletivo Plus Ultra + Alexandre Gwaz – dia 30 de agosto, das 18h às 21h:
Descrição: programa de projeções e intervenções, com filmes e vídeo-intervenções a serem projetados na fachada do MAC.

- Intervenções dos artistas da exposição "Espaços Deslocados – Futuros Suspensos: Repensando Oscar Niemeyer- dia 30 de agosto, das 18h às 21h:
Descrição: os artistas participantes do Coletivo Suspended Spaces (Françoise Parfait, Eric Valette, Jan Kopp, Lamia Joreige, Daniel Lê, Valérie Jouve, Maïder Fortuné, Marcel Dinahet) vão fazer intervenções, criando diálogo com a arquitetura de Oscar Niemeyer.

- Instalação Banho de Chuva - Projeto Som da Maré – de 30 de agosto a 7 de setembro

Obra participativa com curadoria de Pedro Rebelo, que compreende uma instalação sonora interativa. Esta obra é parte de um processo que iniciou-se na Maré no início de 2014.

Participantes: Alan da Silva Lira, Aline Pereira Macário, Aline de Moura, Artur Costa Lopes, Danilo Andrade, Everton Ramos, Geandra Nobre, Jaqueline Alves, Jaqueline Andrade, Jeferson Luciano Gaspar Mesquita, Joyce Rodrigues de Oliveira, Larissa Paredes, Matheus Frazão de Almeida Silva, Matilde Meireles, Marco Aurélio Damaceno, Mariluci Nascimento, Marina Cortês, Natália Chaves Bruno, Phellipe Azevedo, Priscilla Monteiro,Raíza Barros Nascimento, Rodrigo Furman, Rodrigo Souza, Sebastian Wiedemann, Tullis Rennie, Wagner Belo de Siqueira e Wallace Lino.

A reflexão sobre as vivências sonoras dos participantes sugeriu vários temas que vão desde o pregão de rua até a brincadeiras de criança. O som da chuva foi uma das sensações mais fortemente relatadas durante este processo de re-pensar o cotidiano a partir do som. Esta vivência sonora surge na alegria de rua do banho de chuva no verão, mas também numa vertente doméstica relacionada aos telhados deixando cair gotas de água dentro de casa.

- Lançamento do Folder da exposição "Fique à Vontade", do artista Ricardo Pimenta – dia 31 de agosto, às 17h: Descrição: a exposição colaborativa "Fique à Vontade", do artista Ricardo Pimenta, com curadoria de Luiz Guilherme Vergara, em cartaz no museu entre junho a julho deste ano, lançará seu folder confraternizando com os artistas participantes dessa grande ação, que ocorreu na Varanda do MAC e contou com a participação de 429 artistas de diferentes abordagens, meios expressivos e gerações.

MAC como Obra de Arte apresentará, ainda, outras atividades espontâneas. Programação gratuita.

Programações de setembro":

- "Lygia Clark : Tudo que é concreto se desmancha no ar – obras da Coleção João Sattamini / MAC de Niterói" – abertura: 6 de setembro, às 17h. Exposição até 30 de novembro. Curadores: Luiz Guilherme Vergara, Lula Wanderley e Gina Ferreira.
Descrição: Tudo o que era sólido se desmancha no ar, tudo o que era sagrado é profanado, e as pessoas são finalmente forçadas a encarar com serenidade sua posição social e suas relações recíprocas. (Karl Marx. Manifesto Comunista)

A coleção João Sattamini / MAC de Niterói reúne um dos principais conjuntos de obras da Lygia Clark do seu período de maturação e conquista do espaço-orgânico na década de 50. É desta eclosão de paradigmas racionais da arte concreta para o orgânico – vivo – ambiental, que cabe a inspiração do título em uma citação de Karl Marx. A mostra apresenta uma rica passagem da artista pela abstração geométrica, porém, por meio desse conjunto de obras, se tem a própria genealogia de uma sensibilidade voltada à recuperação ou transbordamento da arte para a vida. Neste percurso intenso de transmutações ou da própria eclosão do plano submetido às representações, que surgem as novas formas de pensar sobre a emancipação da pintura e da artista. Lygia Clark descobre a fita de Moebius – a contínua reversibilidade do dentro e fora – a dobradura e redobras que são o prenúncio de uma estética existencial – do vazio pleno, do caminhando. De um "Ato" de emancipação total das divisões entre artista e espectador – do criador e os múltiplos estados singulares da arte além da arte. É na arquitetura do MAC que estas obras encontram seu abrigo poético – uma sinergia vital com o arquiteto Oscar Niemeyer.

- "Espaços Deslocados - Futuros Suspensos: Repensando Oscar Niemeyer" – abertura: 6 de setembro, às 17h. Exposição até 30 de novembro.

Artistas: Françoise Parfait (França), Eric Valette (França), Jan Kopp (Alemanha-Itália), Lamia Joreige (Líbano), Daniel Lê (França), Valérie Jouve (França), Maïder Fortuné (França), Marcel Dinahet (França), André Parente (Brasil), Analu Cunha (Brasil) Luiza Baldan (Brasil), Luciano Vinhosa (Brasil) e João Modé (Brasil).

Descrição: o MAC de Niterói, em colaboração com o coletivo de artistas e pesquisadores Suspended Spaces (Espaços Suspensos), com base em Paris, investe na cidade de Niterói como um campo aberto de investigações artísticas, contrapondo a experiência libanesa das ruínas de obras de Oscar Niemeyer em Trípoli, com uma nova etapa de cooperações internacionais incluindo artistas brasileiros em 2014. As obras do arquiteto Oscar Niemeyer em Niterói serão o ponto de partida para esse laboratório urbano de deslocamentos entre espaços do imaginário modernista e o cotidiano de práticas da cidade. Tanto Trípoli – Rachid Karami International Fair (Líbano) – quanto à cidade de Famagusta, no Chipre, foram marcadas por uma guerra civil que interrompeu a conclusão das obras de Niemeyer, como uma utopia modernista inacabada e hoje como ruínas de um futuro. Niterói, por sua vez, ainda tem pela frente o desafio da integração urbana e social entre o Caminho Niemeyer e a vida da cidade. O projeto "Espaços Deslocados – Futuros Suspensos" traz como proposição conceitual e crítica a vivência de artistas franceses, libaneses e brasileiros com a realidade dessas fronteiras entre as visões modernistas de Niemeyer e os desafios cotidianos da cidade de Niterói.

Esta proposta investe também no conceito de "artista pesquisador" sob uma perspectiva transcultural cruzando realidades urbanas contemporâneas, Niterói e Trípoli, confrontadas por obras e utopias do legado e processos de construção de espaços visionários de Oscar Niemeyer. Trípoli, Famagusta e Niterói são tomados como campos de semelhanças e diferenças para o desenvolvimento de 13 projetos de residência artística conjugando experiências de 6 artistas franceses, 1 libanesa, 1 ítalo-germânico e 5 brasileiros. Além de investir em intercâmbios, encontros, debates e pesquisas em processos e práticas artísticas em realidades urbanas adversas, o MAC de Niterói acolherá a exposição final, cruzando os resultados das investigações em Trípoli e em Niterói.

Suspended Spaces (suspendedspaces.net) é um coletivo independente baseado em Paris, Caen e Berlim. Reunido desde 2007, o coletivo atua, sobretudo, pelo desejo de seus membros de trabalhar em conjunto e em colaboração com outros artistas e pesquisadores internacionais.

- "Latifúndios", do artista Raimundo Rodriguez – abertura: 13 de setembro, às 17h. Exposição até 5 de outubro. Curador: Luiz Guilherme Vergara.
Descrição: a mostra apresenta uma grande série, que vem sendo desenvolvida pelo artista desde o ano 2000. São obras recortadas de lata e tinta, que compõem poemas para serem decifrados e recontados. Em diversos veículos, tais como Teatro, Carnaval, Centros Culturais, Vídeos e TV, as criações de Rodriguez ultrapassam limites e preenchem lacunas de expressão. O artista, acompanhado por sua equipe, foi o responsável pela estética final das construções da novela "Meu Pedacinho de Chão", dirigida por Luiz Fernando Carvalho. O visitante vai poder perceber e explorar o traço do artista, que deu vida à fantasia, e transformar sonhos reais e imaginários, fazendo-os fundirem-se e confundirem-se em novos latifúndios. A exposição vai se estender pela paisagem a caminho do Morro do Palácio.


O MAC de Niterói fica no Mirante da Boa Viagem, sem número – Niterói-RJ.
Mais informações: 2620-2400/ 2620-2481

Entrada gratuita para o público em geral, na abertura das exposições: dias 6 e 13 de setembro, às 17h
Visitação fora da abertura: de terça a domingo, das 10h às 18h. A bilheteria fecha 15 minutos antes do término do horário de visitação.
Ingresso: R$ 10,00
Estudantes, professores e pessoas acima de 60 anos pagam meia.
Entrada gratuita para estudantes da rede pública (ensino médio), crianças de até 7 anos, portadores de necessidades especiais e moradores ou nascidos em Niterói (com apresentação do comprovante de residência).
Entrada gratuita também às quartas-feiras.




Publicado em 02/09/2014






Publicado em
Tags ,


MAC: Funcionamento durante o Carnaval
MAC fecha nos dias de Natal e Ano Novo
Regras para visitação e uso de imagem do Museu
Feira de Arte em Livros, no MAC Niterói
Visita de comitiva estrangeira ao MAC
Mirante da Boa Viagem, s/nº - Boa Viagem, Niterói - RJ, 24210-390 | Tel:(+55 21) 2620-2481 e 2722-1543 | Email: contatomacniteroi@gmail.com