IGREJA NOSSA SENHORA DO BONSUCESSO
 
 
Baixe a agenda do mês

Tombamento municipal em 12/06/1992
Processo n° 110/0030/91 Lei n° 1078/92

Rua José Egenio s/n, atrás do Salesiano.

Uma das igrejas mais antigas da região, foi construída por volta de 1678 e concluída em 1717, pelo capitão Luiz Alberto Gago de Câmara, em terras de sua propriedade, na antiga Fazenda de Piratininga. Entre os poucos documentos históricos existentes sobre o templo está um texto do padre Francisco Lopes Xavier, datado de 1726, que a descreve como "uma capela de taipa de pilão, de altar, sacristia, púlpito e pia batismal".

Situada a meio caminho entre Piratininga e Itaipu, a Igreja Nossa Senhora do Bonsucesso está implantada no alto de uma colina arborizada, outrora às margens da Lagoa de Piratininga. Trata-se de um exemplar da arquitetura religiosa rural da segunda metade do século XVII, com características das igrejas conventuais contemporâneas, numa mistura de arcaísmos maneiristas e prenúncios da barroquização.

Sua construção foi feita em sucessivos períodos, contendo, hoje, técnicas mistas de construção - taipa de pilão (outrora mencionada pelo Pe. Xavier) e alvenaria de pedra e cal - apresentando, ainda, cercaduras de granito e telhas capa-e-canal. A Igreja, de planta compacta, possui nave única despojada precedida por uma galilé* de três arcos. No interior, pode-se observar um púlpito, com acesso pelo lado externo da nave, solução típica das capelas do entorno da Baía de Guanabara. Sua capela-mor, pouco profunda, liga-se lateralmente à sacristia.

Clique para ampliar
A fachada principal é de composição pesada, com uma proporção de cheios maior que os vazios - tão característica da arquitetura seiscentista. É constituída pelos três arcos da galilé, encimados por duas pequenas janelas do coro. À direita da edificação vê-se a torre sineira única, coroada por três pesados coruchéus. O frontão demonstra o início do Barroco, com suas volutas e contra-volutas de aparência sóbria e contida.

Até 1855, o templo possuiu um cemitério em anexo onde foram sepultados vários proprietários das redondezas de Piratininga. Em 1891 a capela foi transferida pelo governo do Estado à Cúria Diocesana do Rio de Janeiro, passando a pertencer ao Bispado de Niterói a partir de sua criação, dois anos depois.

Por sua importância histórica e arquitetônica, a Prefeitura Municipal tombou a Igreja através da Lei n°.1078, em 12 de junho de 1992.

* Galeria que antecede o portal de uma igreja.


Fonte: "Niterói Patrimônio Cultural", editado pela SMC/Niterói Livros em 2000.




Publicado em 15/01/2013






Publicado em
Tags ,


Fazenda do Engenho do Mato
A Preservação do Patrimônio Cultural em Niterói
Bens Tombados
Lei do Patrimônio Cultural
PUR Praias da Baía
Rua Presidente Pedreira, 98, Ingá - 24210-470, Niterói - RJ | Telefone (21) 2621-5050 | E-mail sculturalniteroi@gmail.com (secret) e contato.culturaniteroi@gmail.com (FAN)