RESTAURO: AZULEJARIA
 
 
Baixe a agenda do mês

As fachadas do solar são revestidas com azulejos portugueses, de características tipológicas bem definidas: os de fundo, com um mesmo motivo floral, compõem tapetes, contornados por outros lisos, nas cores amarelo e marrom; os cunhais formam colunas, cujas caneluras são identificadas pela alternância de azulejos azuis e amarelos; as pilastras e os arremates também possuem frisos lisos, nas mesmas cores. A azulejaria de padrão, que reveste todo o exterior da casa principal, é predominantemente de tonalidade verde nas fachadas principal e laterais, prevalecendo as tonalidades azul e branca na parte posterior.

As fachadas encontravam-se fortemente deterioradas, em decorrência da ação da umidade, causada por chuvas e infiltrações, e agravada pelas perfurações encontradas nos condutores de águas pluviais embutidos na alvenaria. A fragilização das argamassas de assentamento provocou o estufamento dos azulejos de suas paredes de suporte, assim como foi observado o descolamento da camada vítrea do tardoz, em grande parte dos painéis de azulejaria. A presença de vegetação nas frinchas de rejuntamento dos elementos cerâmicos também contribuiu para o estado de desagregação da azulejaria, e os cunhais foram as áreas mais prejudicadas, por abrigarem os condutores pluviais embutidos.

Para a restauração da azulejaria, foi firmado um convênio com a Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva, em Lisboa, Portugal, através do qual a engenheira química Maria Manuela Malhoa determinou as medidas emergenciais a serem adotadas e a posterior restauração dos panos azulejados que revestem todas as fachadas do solar.



Intervenção:

Para a restauração dos tapetes de azulejaria do Solar do Jambeiro, foi criada uma equipe, composta por uma média de oito profissionais especializados. A intervenção emergencial teve por objetivo a consolidação das áreas críticas e o faceamento realizado com a utilização de fitas adesivas nos trechos em que foram verificados grandes estufamentos. Os azulejos com grave descolamento da argamassa foram removidos e, nas demais áreas, o tratamento foi efetuado localmente.

A camada vítrea dos azulejos com descolamento do tardoz foi consolidada com o uso de paraloid por impregnação. Uma vez higienizados, os que apresentavam perda de vidrado foram reintegrados com composto de cal e sílica, construindo-se, com a técnica de afresco, uma camada de intonaco, através da qual realizou-se a recomposição cromática. A escolha dessa técnica foi determinada por sua propriedade de significativa estabilidade diante da exposição à luz e às intempéries. É importante destacar que, no escopo desta intervenção restaurativa, paralelamente ao aspecto estético, a finalidade principal consistia no processo de obturação do vidrado faltante, de modo a assegurar a interrupção de contínuas infiltrações de águas pluviais, razão do descolamento do vidrado do tardoz. Os azulejos que se encontravam partidos foram colados com resina epóxi, e os que foram tratados com a técnica de afresco receberam acabamento com base em silicone. Realizado pela primeira vez no Brasil, o método que utiliza o afresco nesse tipo de intervenção restaurativa vem demonstrando bom nível de estabilidade, assim como resultado estético bastante satisfatório.

Peças pontualmente faltantes somavam um número expressivo, sendo repostas por novas, confeccionadas a partir dos desenhos originais daquelas existentes, considerando-se que os panos de azulejos não devem ter sua continuidade visual interrompida.

O importante conjunto de azulejos e telhões de louça do Solar do Jambeiro exige permanente trabalho de conservação e constitui exemplar campo de experimentação de intervenção restaurativa em azulejaria no Brasil.



Materiais utilizados:
  • I Limpeza
    Lavagem com água deionizada e detergente neutro (Detertec 7)
    Álcool absoluto.

  • II Consolidação da camada vítrea
    Paraloid B 72 (Acriloyd) + acetona P.A. (0,05 : 1)

  • III Colagem de peças quebradas
    Adesivo Epóxi para cerâmica: endurecedor FD 134 + resina MC 143 (1 : 1)

  • IV Reintegração cromática
    Sílica-Quartzo malha 325 (MD 0802) + cal hidratada em pó (2 ou 3 : 1)
    Sílica-Quartzo malha 325 (MD 0802) + cal hidratada em pasta (2 ou 3 : 1)

  • V Revestimento da reintegração / Proteção
    Silicone Acquela e Suvinil.

  • VI Argamassa de preparação para assentamento dos azulejos
    Primeira etapa: cal em pó + areia + saibro (1 : 3 : 1) + água + cola Rhodopás (1 : 8)
    Segunda etapa: cal em pó + areia (1 : 3).

  • VII Argamassa de assentamento dos azulejos
    Primeira etapa: cal em pó + areia (1 : 3) + água + cola Rhodopás (1 : 8)
    Segunda etapa: cal em pó + areia (1 : 2)





Restauro do Solar do Jambeiro |   | Introdução e Equipe  | Azulejaria  | Telhas de Beiral  | Pisos  | Esquadrias  | Serralheria Artística  | Cobertura  | Cantarias  | Alvenaria  | Forros de Estuque  | Jardins  | Estufa  | Interiores




Publicado em 01/01/2013






Publicado emSolar do Jambeiro
Tags ,


Sarau do Tomate Cereja no Solar do Jambeiro
Orquestra de Cordas da Grota realiza Concerto de Natal no Solar do Jambeiro
Concerto de Natal do Conservatório de Música de Niterói
Cabaré Valentin
Sarau Comemorativa Tomate Cereja no Solar do Jambeiro
Baixe a agenda do mês do Arte na Rua

Rua Presidente Domiciano, 195 - Boa Viagem, Niterói - RJ, 24210-471 | Tel:(21) 2109-2222 | Email: gestao.solardojambeiro@gmail.com